quinta-feira, 17 de março de 2016

Uma espécie de passatempo #0


Como nos ralis, este é o zero, o primeiro a arrancar mas só dá a primeira volta,  não entra na classificação.

 


-Preciso que faças um desenho sobre o mano, sobre aquilo que sentes por ele.
-Mas eu não sei escrever.
-Fazes o desenho e a mãe escreve o que quiseres.
Voou para a mesa da sala, puxou da cadeira pequenina e começou a desenhar, interrompeu para jantar e correu de novo para terminar. É empenhada o diabo da miúda, apesar de lhe dizer que não tinha de acabar logo, sabia que não a conseguiria deitar sem que acabasse.
-Já acabei e olha não precisas de escrever nada. É azul porque é a cor preferida dele, tem a camisola do Sporting e uma juba de leão, um carro vermelho... não ficou muito bem, o carro. Mas ele gosta de carros vermelhos e também é esquisito... às vezes. E está de braços abertos porque ele está sempre a abraçar-te. E os corações porque eu gosto dele, se eu gosto dele é amor, não é?

Já perceberam porque é que não a deixo participar? 



10 comentários:

  1. Não é à toa que adoro esta minha Loirete do fundo do meu coração. Vou tentar colocar a minha ideia em prática já nos próximos dias,estou ansiosa pelo resultado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A fasquia está alta mas tu estás habituada a desafios ;)

      Eliminar
  2. É Amor!
    Aguardo as férias para os pôr a trabalhar...
    Um desenho linda, pequena artista.
    Beijo,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem pressas, temos duas semanas... ainda!

      Eliminar
  3. É lindo ver amor entre irmãos, nem sempre é assim.
    Gosteiiiiiiii
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi sempre assim e agora ainda têm as suas guerras mas são muito amigos e protectores um do outro.
      Beijinho

      Eliminar
  4. Oh Be!...
    Seu que pareço uma parva mas... que amooooorr

    Um abraço azul (há abraços às cores?), desta tia velha e rabugenta que também adora o azul.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahah "tia velha e rabugenta..."
      Se não puséssemos um pouco de cor em tudo, até nos abraços, não teria metade da graça.
      Obrigada

      Eliminar

Dá cá bananinhas!