sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

A desordem natural das coisas

Tenho por hábito conversar muito com os macaquitos no carro, talvez porque a disponibilidade para lhes dar atenção é maior que em casa, onde há banhos para tomar, refeições para preparar e as brigas do costume, portanto aproveito sempre os momentos de volta a casa para perguntar tudo e mais umas botas.
"Então macaquito, como foi o teu dia? Divertiste-te?"começam os dois a falar ao mesmo tempo, macaquita da ginástica que adora e até já vai com os meninos mais velhos, ele dos cavalos na hipoterapia, as vozes atropelam-se, cada um a falar mais alto e eu sem perceber nada, até que mando um grito.
"Chega, parem, um de cada vez. MACAQUITO, como foi o teu dia?"
Uma fungadela.... um soluço.... um choro em forma de uivo.... macaquita chora desalmadamente.
"O que foi macaquita, porque é que estás a chorar?"
"Porque eu quero falar primeiro, snif, snif."
"Mas eu perguntei primeiro ao mano, falas a seguir."
"Mas porque é que ele é o primeiro, vá, vá, diz lá." sem choro e num tom desafiador.
"Porque eu mando, porque ele é mais velho, olha porque me apetece!! MACAQUITO, conta lá à mamã, vá."  e macaquito conta todas as sua peripécias do dia. 
"Pronto macaquita, conta lá como correu a ginástica."
"Mal!!"
"Então porquê?"
"Porque eu queria falar primeiro!!"


4 comentários:

Dá cá bananinhas!