quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Na minha casa são sempre moedas

A dois dias do Natal o segundo incisivo de macaquita estava prestes a cair, ao contrário de macaquito, todo o processo se tem desenrolado naturalmente, nada de quedas, nada cabeçadas. Cada dente, um milhão de perguntas sobre fadas. De que tamanho será a fada? Não pode ser demasiado pequena ou não aguentará o peso do dente. Será que a fada vem se por acaso dente cair na noite de natal? 
Essa nem eu sei responder e a pergunta dá azo a mais um rol de histórias, invenções e questões pertinentes. Será que o mundo do pai natal se mistura com o mundo das fadas? Ou seja, imaginando que a fada vem ao mesmo tempo que o pai natal será que ambos vão deixar presentes? Afinal é tudo magia, no entanto, não sabemos se eles se conhecem e acima de tudo se se misturam. Cá por casa é uma experiência nova para todos, portanto ninguém arrisca a atar o fio para soltar aquele nico que ainda prende o dente à gengiva. Optamos por esperar pelo dia 25.
Logo pela manhã, a madrinha de macaquito faz as honras e a petiz delira, sorriso de orelha a orelha, ao olhar para ela só me lembro da Fossa das Marianas de tão enorme que está falha. No meio de todo o bulício natalício, quando chega a hora de ir dormir esqueço-me completamente do dente, ela não! Aparece-me de manhã desconsolada com o dente na mão. Lá invento que a fada não fez a troca visto que a tia Maria se foi deitar ao pé dela e as fadas não trocam dentes com adultos presentes. Concordamos que o melhor é levar o dente para casa dos avós e experimentar a colocar de novo debaixo da almofada.
Ligo à noite para falar com os dois, quando chega a vez dela:
-Olha mamã, já sei o nome da fada. - diz-me entusiasmada.
-Fada? Qual fada? - pergunto eu sem me lembrar de toda a confusão anterior.
-A fada dos dentes. Chama-se Moragui. - pronuncia a palavra como sendo aguda, acentuando o "gui".
-Moragui? Como é que sabes?
-A fada escreveu o nome dela.
-Escreveu onde? - pergunto cada vez mais confusa e a pensar que parvoíce teria o meu pai inventado desta vez, visto que ele consegue ser pior que eu no que toca a inventar histórias.
-Na nota que me deixou. Ela levou o dente e deixou uma nota de 5€ mas assinou o nome dela!




2 comentários:

  1. que a magia nunca falte nessa família tão especial.
    bom ano. beijinhos,
    Mia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz ano novo Mia, como sempre, és uma querida.
      Beijinhos

      Eliminar

Dá cá bananinhas!